Ocupado

Por Vitor Seravalli

No início de minha vida executiva, quando eu precisava de algum trabalho com maior demanda de tempo e empenho, meu impulso inicial era procurar por alguém que estivesse com maior disponibilidade. Algo aparentemente óbvio, mas que poucas vezes trouxe resultados satisfatórios.

Aos poucos fui aprendendo que meu critério lógico não funcionava na prática. Surpreendentemente, as melhores delegações ocorriam quando alguém aparentemente atribulado assumia a responsabilidade e, como dizíamos na época, “dava conta do recado”.

Excepcionalmente, a sinergia entre tarefas distintas, quando caem nas mesmas mãos, pode torná-las mais simples. Parece impossível, mas lembro-me de um período em que eu era responsável por uma área de infraestrutura e quando recebi de presente a enorme responsabilidade de cuidar de toda a área de produção, minha vida melhorou substancialmente. Afinal, ficou muito mais fácil, integrar recursos e necessidades estruturais, além de ganhar o reforço de profissionais que se somaram aos que já pertenciam ao nosso time.

Realmente, tive sorte naquela oportunidade. Mas a inspiração deste texto não se relaciona com estas exceções surpreendentes e desejáveis.

Meu objetivo aqui é contar um pouco sobre a importância de identificarmos pessoas, cujos comportamentos fazem com que vontade, motivação, simplicidade e inovação, componham uma competência capaz de produzir resultados que os profissionais comuns consideram impossíveis. Reconhecê-los em meio a tantos perfis somente é possível quando suas atitudes de materializam em tarefas e projetos concluídos com sucesso.

Tive um colega que possuía esta capacidade. Dificilmente, o que lhe era delegado não alcançava o êxito. Porém, sua primeira reação quando tomava conhecimento de novos desafios era sempre negativa.

Uma expressão de súbito mal humor, sempre com justificativas insanas de que a ação não seria bem-sucedida, gerava um ambiente negativo e desanimador para toda a equipe. Contudo, sua atitude posterior se transformava em uma enorme contradição. Ele entrava em ação com a competência que lhe era peculiar e os problemas raramente não encontravam uma solução adequada.

Infelizmente, meu colega nunca alcançou posições mais importantes na organização, pois a percepção de pessimismo, não abertura às mudanças e de que gostava de reclamar, transformam-se em um estigma negativo. Realmente, uma pena.

Evidentemente, devemos ter um posicionamento assertivo e bem argumentado, quando não concordamos com o que nos é proposto ou quando estamos no limite de nossa capacidade. Todavia, precisamos discernir quando novas responsabilidades possam ser equacionadas, principalmente se forem importantes para nossas equipes, nossos negócios e, finalmente, nossas carreiras.

No final das contas, minhas vivências validaram uma frase pronta que ouvi certa vez e que a cada dia torna-se ainda mais verdadeira:

“Se você quiser que algo importante seja realizado com qualidade e no prazo desejado, procure alguém ocupado para fazê-lo”.

fonte imagem: https://pt.dreamstime.com/

Voltar ao blog