Atitudes sustentáveis

banho sustentável 1

Por Vitor Seravalli

Professor! Gostaria de fazer um comentário.

Estranhei aquela solicitação logo no início da aula. Mas, como os cursos de pós-graduação precisam da participação ativa dos alunos, dei toda a atenção ao rapaz que queria contar algo sobre a aula anterior.

_ Em sua última aula, houve um momento em que foi mostrado um certo “slide”, e você fez questão de frisar que ele era o mais importante de todo o curso. Olhou para nós e, inclusive, disse que era algo com grande chance de estar na avaliação final.

Todos prestavam a atenção, e ele continuou.

_ Era o “slide” que definia o “Desenvolvimento Sustentável”, e me lembro bem que dizia: “Desenvolvimento sustentável é aquele que satisfaz as necessidades da geração atual, sem comprometer a capacidade das gerações futuras de satisfazerem as suas próprias necessidades”.

Falou com tanta propriedade que seus colegas o aplaudiram.

_ Muito bem – disse eu – mas e então?

_ Pois é Professor, eu sempre imaginei que sustentabilidade fosse abraçar árvores, e de repente compreendi que era algo muito mais amplo, e relacionado com a atitude tanto das organizações quanto de nós mesmos como cidadãos.

A essa altura, seus colegas já pensavam em elegê-lo como o líder da turma, e brinquei que sua bela contribuição não o isentaria da avaliação ao final do curso.

Ele sorriu, mas seguiu com sua história.

_ Bom, mas ao final da aula, eu fui para casa, e no caminho continuava a pensar no que eu deveria fazer como indivíduo para ser sustentável. Quando cheguei, conversei com minha esposa, que também havia chegado da escola como eu, e ela gostou de discutir um pouco sobre esse assunto. Falamos de nossos filhos, e o quanto seria importante ensiná-los sobre a sustentabilidade. Depois disso, fui tomar um banho antes de dormir, e acredite Professor, eu continuei a pensar no assunto.

Fez uma “cara de conteúdo”, mas eu não pude deixar de fazer uma consulta a ele.

_ Tenho uma pergunta: enquanto você pensava na sustentabilidade, a válvula da água estava aberta ou fechada?

Os outros alunos caíram na gargalhada, e ele mudou sua expressão mas admitiu o óbvio:

_ É, a água estava aberta.

Embora fosse somente um comentário com fins didáticos, eu disse a ele que podia interromper sua história ali mesmo, e que ao final da aula me procurasse para que pudéssemos agendar uma aula de reposição, pois definitivamente, ele não havia aprendido bem a lição da aula anterior.

Todos sorriram concordando comigo, inclusive o meu importantíssimo aluno.

Sim, um aluno importantíssimo, pois sua história continua sendo contada por mim em praticamente todas as aulas e palestras que tive após aquela noite.

Evidentemente, o agradeci ao final daquela intervenção, e ele certamente mudou sua atitude a partir de então.

Ensinar os fundamentos da sustentabilidade é muito mais que um privilégio, é uma missão.

Mas ainda mais importante do que apresentar os fundamentos e conceitos de algo tão complexo e tão simples ao mesmo tempo, é certamente ensinar pelo próprio exemplo.

E nesse caminho, eu confesso ter ainda muito a percorrer.

Mas se muitos outros estiverem comigo, tenho certeza que chegarei mais longe.

Vamos nessa?

Voltar ao blog