Arquivos do mês: novembro 2015

A confiança

Confiança 1

Por Vitor Seravalli

Buscar a solução para problemas complexos, e enfrentar eventuais crises, são situações comuns ao cotidiano de qualquer líder. Porém, ter o privilégio de poder confiar plenamente em todos os membros de sua equipe, e mais que isso, ser merecedor da confiança dos mesmos, talvez seja a diferença fundamental entre o sucesso e o fracasso.

Em diversas situações, onde pude incorporar as experiências de minha vida até o momento, consigo ver nitidamente os momentos e situações onde a confiança esteve ou não presente. E vejo o quão fácil era prever o final de cada história.

Independentemente dos fatores que envolviam e caracterizavam cada desafio, uma coisa é certa, tudo se tornava mais nítido e cristalino quando a confiança iluminava a escuridão dos meus dilemas como uma janela de luz.

Em seu livro: “A velocidade da confiança”, Steven R. Covey fala sobre este tema com a abrangência que o mesmo merece.

Logo no início do texto, ele diz:

“A confiança influencia-nos dia e noite, 365 dias por ano. Ela nos influencia e afeta a qualidade de cada relacionamento, cada comunicação, cada projeto, cada empreendimento, cada esforço no qual estamos empenhados. Muda a qualidade de cada momento presente e altera a trajetória e o resultado de cada momento futuro de nossas vidas – seja no plano pessoal, seja no profissional.”

A confiança é a diferença entre as coisas que são mais fortes e eternas e aquelas que são breves e completamente frágeis.

Por exemplo, quando os relacionamentos são legitimamente confiáveis, eles são de alguma forma eternos, mesmo aqueles que carecem de plenitude.

Em contrapartida, quando não há confiança, os relacionamentos são frágeis em sua estrutura, e embora possam manter uma aparência de qualidade, não resistem e sucumbem, sem que nada possa fazê-los durar.

Por outro lado, um paradoxo se mantém vivo. Pois, embora resiliente e perene, a confiança é como um cristal valioso. Ela pode durar a vida inteira com todo o seu brilho e beleza, mas se em algum momento for quebrada, nunca mais será a mesma.

O que fazer então?

Acredito que a primeira atitude para poder confiar nas pessoas, é merecer a confiança delas. Aliás, esta é para mim uma premissa inegociável.

Por exemplo, se fizer algo errado, e isso é sempre possível pois somos humanos. E se o seu erro ferir alguém, faça como uma velhinha sábia uma vez me ensinou, quando eu ainda era uma criança:

_ Filho, se você fizer uma coisa errada, fique roxo por cinco minutos, mas por favor, não queira ficar amarelo pela vida inteira.

Ou seja, assuma imediatamente seu erro e as consequências dele, mesmo que isso custe caro, mas nunca fuja da verdade.

Pois assim, a vida segue. Talvez difícil, mesmo com toda a confiança do mundo, mas completamente impossível sem ela.

Você acredita em mim?