Arquivos do mês: janeiro 2015

A busca de uma carreira sustentável

opções-escolhas-carreira-profissional

 

Tem sido comum a entrada de um tipo peculiar de mensagem em minha caixa postal. São e-mails vindos de profissionais de todas as idades, buscando esclarecimentos e orientações sobre suas opções de carreira.

Às vezes, uma movimentação para uma nova área de atuação, uma abordagem distinta da mesma área. Em outras, os eventuais riscos de uma mudança de empresa, dicas sobre um curso específico, opções entre as diversas escolas do mercado. Enfim, muita gente tem urgência em descobrir o melhor caminho para construção de um futuro profissional mais sustentável.

Nesses casos, talvez a pergunta básica seja traduzida pela busca do caminho das pedras para a maximização entre as dimensões: competitividade, retorno financeiro, ambiente organizacional e autorrealização.

E, como dar uma resposta honesta, viável e que agregue algum valor? Quem sabe, não seja melhor começar com algumas perguntas provocativas, ao invés de simplesmente respondê-las?

A primeira delas seria: já existe uma visão de médio ou longo prazo? Será que meu interlocutor consegue projetar-se e visualizar sua própria imagem daqui a cinco anos? Se, cinco é muito longe, daqui a dois anos? Trata-se de um exercício básico, pois a direção a seguir dependerá dessa capacidade.

Para os que não conseguem, é melhor parar, refletir um pouco sobre o presente, buscar compreender melhor suas características, competências, e pontos a melhorar. Avaliar onde suas habilidades são seguidas de resultados, e em que áreas de atuação há reconhecimento dos mesmos por terceiros. Afinal, competência é um conhecimento que se transformou em habilidade, e que teve atitude para se transformar num comportamento reconhecido e observado.

Aqueles que conseguem identificar suas próprias virtudes e suas competências, já andaram a metade do caminho. E então, o exercício da visão pode ser retomado.
Tente ver a própria imagem fazendo aquilo que sua visão projeta. Suas roupas, seus movimentos, seus instrumentos, sua logística, e como é visto pelos outros. Quando essa imagem estiver bem clara em sua mente, é hora de apertar o botão e registrar essa fotografia instantânea. Com ela em mente, poderá ser iniciado um longo e consistente projeto, com todas as suas fases, que certamente o transformará naquilo que você quer ser no futuro.

Vamos apostar nisso?

 

A construção de uma carreira de sucesso

 

empreendedor-empreendedorismo-1024x681-700x329

Embora todos busquem o desenvolvimento de uma carreira profissional de sucesso, é fácil perceber que não se trata de um processo simples e sempre bem sucedido.

Um primeiro passo nessa direção seria um bom projeto pessoal, com metas, estratégias, um plano de ação viável, e principalmente, com autodisciplina para sua implementação. Mas, aqui entre nós, é muito difícil encontrar jovens, ou mesmo profissionais atuantes no mercado, que já tenham consciência deste pré-requisito para o sucesso.

Certamente, há exceções. Pessoas com competências empreendedoras natas podem alcançar o sucesso sem muito planejamento. E, também, podemos identificar profissionais bem sucedidos, que foram privilegiados pelo suporte de padrinhos com grande poder de influência, e que souberam aproveitar o empurrãozinho.

Mas o fato é que o mercado está cheio de profissionais que navegam com suas carreiras por mares por onde não passam os ventos da autorrealização. São pessoas que são subutilizadas em empregos seguros, mas sem desafios e sem perspectivas.

Por outro lado, há o grupo formado por profissionais que rapidamente conquistam posições com maior nível de responsabilidades em grandes organizações, mas não tem o perfil de competências necessário para alcançar os resultados esperados. Assim, não é rara a situação em que um profissional recém-promovido, frustra as expectativas, e perde seu emprego por incompetência.

Isto não faz qualquer sentido, mas acontece com frequência.

O que fazer então?

Como o resultado em qualquer dos casos gera desperdício de recursos e dinheiro das empresas, estas estão sempre testando novas estratégias de seleção, desenvolvimento e retenção de talentos.

Mas, se priorizarmos o poder de influência dos próprios profissionais, há uma boa possibilidade, uma luz no fim do túnel, e ela se chama Coaching.

Uma opção é o Coaching de Carreira, uma metodologia para identificação e orientação dos melhores rumos a serem tomados pelos profissionais em suas carreiras.

E outra alternativa é o Coaching Executivo, cujo objetivo é contribuir para o desenvolvimento de competências de liderança.

A boa notícia para os executivos, técnicos, ou mesmo estudantes, que se identificam com os dilemas citados no início deste artigo, é a existência de boas opções para o desenvolvimento de processos de Coaching. Pelo menos avaliar, já uma opção.

A única opção a ser desconsiderada é a passividade, e a falta de atitude em relação ao futuro, e à própria carreira.

 

Por: Vitor Seravalli